15 Ideias de Negócios De Baixo Custo em Angola

2019 é um ano cheio de incertezas, principalmente em relação a economia e às condições sociais.

Por isso, devemos aproveitar a motivação da crise económica e pensar em soluções para diversificar a nossa fonte de renda.

Escolhemos 15 ideias de negócios que podem ser facilmente implementadas sem muitos custos. Algumas delas já existem e têm trazido rendimentos significativos às famílias.

A maior integração informática vai permitir ao mercado virtual dar mais um passo, assim, vamos começar com negócios nesta área:

1- Lojas virtuais

Existem muitas plataformas que permitem criar e gerir lojas virtuais a um custo muito baixo, algumas de graça.

O mercado das compras online está em crescimento com perspectivas cada vez melhores.

É uma óptima opção num mercado como o nosso onde há uma prática grande de compra e venda de produtos por pequenos comerciantes sem grandes fundos.

No entanto, se deseja crescer é necessário agregar ao sistema conhecimentos relacionados a contabilidade, logística, distribuição e gestão de stock.

2- Distribuição porta-a-porta

O mercado da conveniência é cada vez maior numa tendência de agradar o cliente com um serviço de entrega ao domicílio.

Montar a estrutura para isso pode ser um peso para as empresas o que abre oportunidades para aqueles que tendo um meio de transporte podem disponibilizá-lo para fazer entregas.

Quase todos os estabelecimentos deverão querer ter o serviço agregado o que permitirá até, a individuais manter o seu transporte “fretado” a entregar encomendas e a monetizar.

3- Mobilidade

Um negócio que já começou, mas deve valorizar-se, qualificar-se e virtualizar-se durante o próximo ano é o da mobilidade.

As pessoas precisam de ganhar tempo e dinheiro indo de um lado para o outro. Isto faz-se rapidamente e a baixo custo.

Modelos do estilo Uber com serviços de mobilidade rápida e barata poderão surgir agregando pessoas que têm meios e tempo disponíveis para ganhar algum dinheiro levando outras de um lado para outro a bom preço.

Lembremo-nos que os nossos carros ficam cerca de 80% do tempo parados e os modelos MaaS (Mobility as a Service-Mobilidade como serviço) frutos da mobilidade compartilhada dentro da economia compartilhada estão a expandir-se.

4- Marketing digital

Todas empresas e projectos precisam de marketing e hoje, ninguém vive sem marketing via internet.

O marketing virtual tem as suas regras, mas permite uma série de possibilidades desde projectos elaborados quase cientificamente com ferramentas adequadas até serviços de gestão de redes sociais.

Trabalhar em marketing virtual não exige grande conhecimento e investimento tecnológico e que pode gerar inúmeras oportunidades de negócio, no entanto, são necessários conhecimento em marketing e comunicação, networking e uma boa dose de cultura geral.

 5- Agentes de revenda de serviços e produtos

Como muitas outras coisas as pessoas irão, cada vez mais, procurar serviços e produtos intangíveis via internet.

Viagens, seguros, marcações, ingressos, serão vendidos em lojas e plataformas virtuais. Facilmente, um agente com experiência e formação nalgumas destas áreas poderá criar a sua loja e vender os serviços agenciados.

Como estará a repassar serviços/produtos de terceiros será necessário ter bom conhecimento do mercado e produtos/serviços que estará a agenciar por todas as implicações, inclusive, legais inerentes a estes.

6- Consultoria em contabilidade e fiscalidade

A entrada do IVA (imposto de valor acrescentado) e outras regulamentações obrigarão as empresas e até, pessoas a reverem o seu investimento nestas áreas. As “fornadas” de contabilistas que saem das universidades e institutos todos os anos podem ter algumas oportunidades a baixo custo.

Contactem, entretanto, a Ordem dos Contabilistas que deve estar a flexibilizar a adesão a membros.

7- Representante de vendas

É uma profissão pouco explorada no nosso mercado, mas pode ser muito boa para criar uma fonte de renda.

As empresas e lojas precisam de vender e nada melhor do que ter alguém que se dedique a levar os seus produtos e serviços “mais longe”.

Na base de um contrato de representação a empresa fornece informação e identificação e o vendedor ganha por comissão de vendas. É necessário investir em competências de venda e conhecer bem o mercado.

8- Corretores

Como no número 7, são representantes de venda para produtos muito específicos em mercados de categoria e relevância.

O imobiliário e os seguros são exemplos destes mercados. As competências exigidas vão além das vendas e deve ser necessário uma formação para aprender coisas como preço por metro quadrado dependendo da zona ou como funcionam as áreas vida e não-vida para os seguros.

9- Gestor de eventos

Os eventos querem-se cada vez mais organizados, eficazes, rigorosos e requintados.

As empresas e pessoas digladiam-se para organizar eventos e têm uma série de dificuldades e falta de tempo para traçar e acompanhar a execução da sua “check list”.

Há uma lista grande de eventos a acontecer todos os dias e outros que podem ser “inventados”. É necessário obter competências e, quiçá, um curso de gestão de eventos.

10- Roupa, calçados e acessórios à baixo custo

A crise e perda da capacidade de compra está a trazer à tona o velho e bem conhecido “fardo”.

Este negócio está com um crescimento considerável e é possível gerar rendimento fazendo um investimento pequeno em fardos e escolha selectiva de peças que sejam, ainda muito boas para uso. Roupa, calçados e acessórios entram nesta lista e estão a ser adquiridos “até pelas melhores famílias”.

Nesta área ainda há espaço para customização.

11- Cosméticos e “makeup”

Este é um dos mercados que está indicado como resistente às crises.

É possível começar de diversas maneiras, como revendedor de produtos já existentes no mercado, como prestador de serviços, como artista, etc.

Hoje há uma série de workshops e cursos dados por pessoas com mais experiência nesta área.

As pessoas são, naturalmente vaidosas e hoje o segmento de cuidados de “saúde e beleza” está em franco crescimento.

12- Bijuterias

Também neste campo a crise deu uma “ajuda” e o mercado voltou-se para bijuterias mais baratas e, algumas, artesanais.

Lance-se à aventura e descubra as suas capacidades artísticas e crie peças que podem encantar o mercado.

Deve ser muito criativo e encontrar soluções para a falta de material e equipamento que há no mercado.

13- Lanches e sobremesas ao domicílio

No sentido lato, domicílio pode ser também no local de trabalho.

Com alguma criatividade é possível produzir, com pouco investimento, pequenas refeições que podem fazer as delícias de pequenos ou grandes grupos de pessoas em casa, no serviço, em eventos, etc.

Um lanche saboroso, nutritivo e saudável será muito bem recebido.

14- Refeições saudáveis e dietéticas

Este mercado exige um conhecimento aprofundado dos menus a apresentar e pode ser muito disperso em termos de localização dos clientes.

Entretanto é um nicho com um potencial grande a explorar.

Pessoas com restrições alimentares ou em dieta têm dificuldade em encontrar alimentos saudáveis, saborosos e diversificados fora de casa. tenha em conta o acompanhamento de um nutricionista.

15- Manutenção e reparações

A necessidade de manutenção e reparação é constante a todos os níveis.

A degradação de equipamentos e materiais é acelerada no nosso contexto o que abre oportunidades neste mercado pouco e fracamente explorado.

A preparação técnica e de gestão e a preocupação com a qualidade e a rácio custo/benefício podem fornecer aberturas para um mercado em franco crescimento.

Pense em cada uma delas e nas suas capacidades para tirar proveito destas e de outras oportunidades que possam estar à disposição.

Lembre-se que um mentor pode ser de grande ajuda para traçar planos e fazer análise de mercado e de parceiros e dos prós e contras de cada decisão a tomar.

Boa sorte ao empreender numa dessas ideias de negócio!

Fonte: xbytessolutions.com