18.1 C
Lisboa
Segunda-feira, Junho 1, 2020
Inicio Imobiliário Atividades imobiliárias com menos dinâmica

Atividades imobiliárias com menos dinâmica

O sector é aquele que menos empresas criou e onde mais empresas encerraram durante os primeiros cinco meses deste ano, aponta o relatório da Dun&Bradstreet

Nos primeiros cinco meses deste ano foram criadas em Portugal 23 868 empresas, o que representa um crescimento de 12,4% face a igual período do ano passado. “Esta dinâmica não se reflete, contudo, nos sectores das Atividades imobiliárias e do Alojamento e restauração, onde estão a ser criadas menos novas empresas do que em 2018, com quebras de 5,3% e 1,0%, respetivamente. Estes, são, aliás, os únicos sectores a registar uma descida face ao ano passado”, aponta o Barómetro Informa D&B (Dun&Bradstreet) divulgado hoje.

No caso das Atividades imobiliárias, as maiores quebras registam-se nos subsetores do ‘Arrendamento’ e ‘Compra e venda’, com descidas de 23,8% e 11,5% na constituição de empresas. No setor do Alojamento e restauração, a maior quebra regista-se no subsetor do ‘Alojamento de curta duração’, que entre janeiro e maio perdeu 13,3% na constituição de novas empresas.

Em sentido contrário, é nos Transportes (+114,1%) e na Construção (+37,3%) que mais cresce a constituição de empresas, com estes dois setores a contribuir com cerca de um terço do total das novas empresas criadas até 31 de maio deste ano. A construção, por exemplo, registou 2788 novas aberturas.

No setor dos Transportes, este crescimento é fruto do subsetor ‘Transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros’ (onde se incluem a Uber ou a Cabify) que reúne mais de 70% das novas empresas dos Transportes em 2019 e que representa uma subida de 240% face ao mesmo período de 2018.

Na construção, os três subsetores crescem na constituição de novas empresas bastante acima da média: ‘Atividades especializadas’: 56%; ‘Obras de engenharia civil’: 46,4%; ‘Construção e promoção de edifícios’: 26.4%.

Até final de maio, registaram-se 6 434 encerramentos de empresas, uma subida de 5,4% face ao período homólogo e com a maioria dos setores a registar mais encerramentos.

Os setores que mais contribuíram para este aumento dos encerramentos, foram os Serviços Empresariais com mais 98 encerramentos, seguindo-se as Atividades Imobiliárias (+57) e Agricultura e outros recursos naturais (+56).

Fonte: Visão

- Advertisment -

Most Popular

Primeiro levaram os negros…

Primeiro levaram os negros. Mas não me importei com isso. Eu não era negro. Em seguida...

TURISMO uma estratégia para superar a crise

Vivemos tempos de indefinição e sobressalto, depois do cancelamento da BTL (maior feira do sector em Portugal) começou-se a prever o pior num sector...

Tem um alojamento local? Temos um aviso para si.

Muitas pessoas desconhecem que, ao retirar a casa do alojamento local, sujeitam-se ao pagamento de mais-valias no ano seguinte. Descubra como...

Turismo de Portugal lança campanha ao contrário e pede aos turistas para ficarem em casa

"As paisagens, as praias e os monumentos não vão a lado nenhum". Vídeos do Turismo de Portugal, da Madeira e...

Recent Comments