Felicidade… o que é a felicidade?

Felicidade… o que é a felicidade?

Algo concreto?

Algo objectivo?

Ou algo subjectivo?

Algo que depende de cada um, ou seja, cada pessoa pode ter o seu próprio conceito de felicidade?

O que é certo é que todos procuramos a felicidade.

E, quando nos perguntam o que é que mais queremos para os nossos filhos, o que nos ocorre dizer é algo como “que sejam felizes”.

Certo? Claro que sim.

Um dos meus filmes favoritos é precisamente o filme que tem o mesmo título deste e-mail:

“Em busca da felicidade”.

Já o viste?

Se sim, o que achaste?

Se não o viste, recomendo-o vivamente.

O filme baseia-se na história verídica de Chris Gardner, numa época em que, sozinho com o seu filho, se viu obrigado a viver em abrigos, enquanto perseguia o seu sonho de dar um futuro melhor para o seu filho.

Embora já não o reveja há algum tempo (essencialmente, porque ainda me emociono imenso por causa da relação forte entre o pai e o filho e isso lembra-me sempre os meus filhotes), continuo a achá-lo fantástico.

E lá aborda-se uma questão essencial:

Todas as pessoas têm o direito de procurar a felicidade.

Aliás, há alguns países que levam isto tão a sério que encaram a felicidade da sua população como se tratasse de um indicador económico.

E no Butão, país de onde partiu a ideia de assinalar este dia, a Felicidade Interna Bruta é mais importante que o Produto Interno Bruto.

Uma pergunta:

Continuas à procura da felicidade?

Ou já desististe?

A busca da felicidade (nossa e dos que nos rodeiam) é um dos objetivos mais nobres do ser-humano.

Desde que não o façamos à custa dos outros, claro.

Nunca te esqueças “ser feliz é uma escolha”!