Compensa comprar na BTL? 5 respostas das agências de viagens

A maior feira de turismo do país está em Lisboa até domingo. Mas compensa comprar viagens na BTL? O ECO foi descobrir quais são os destinos que estão a crescer e que descontos pode encontrar.

A maior feira de turismo do país traz promoções em hotéis e em pacotes de viagens para qualquer altura do ano. Mas vale mesmo a pena comprar na BTL? Fomos perguntar às agencias de viagens que estão no evento e preparámos um vídeo que o vai ajudar a planear as suas férias de Páscoa e de verão.

Há muitos pacotes turísticos a preços que normalmente não se conseguem“, diz José Manuel Ferraz, diretor da Abreu Viagens. Contudo, refere que há outras alturas em que é possível encontrar preços mais baixos. Por esta razão é comum que “quem vem à feira, sai muitas vezes desiludido porque é feita uma grande propaganda” que não corresponde às expectativas do consumidor, completa Célia Nota da Q!Viagens, cujos descontos podem ir até aos 10%.

Com um orçamento de 1.000€ por pessoa, que férias é possível fazer?

Há muitas opções. Mas depende do pacote que for escolhido.

Os portugueses preferem destinos de praia para fazer férias, por isso Cabo Verde, Caraíbas, Ilhas Espanholas e Porto Santo estão no topo das rotas mais procuradas. É possível viajar para qualquer um deles com 1.000€, com estadia incluída, embora o preço varie muito em função da altura do ano e da qualidade do hotel.

“Algumas das operações para a Páscoa já estão cheias, mas pode ainda haver alguma disponibilidade” refere Margarida Blattman, diretora de marketing da Top Atlântico. A maior procura é para o verão. Conta ainda que há destinos de praia menos óbvios que começam a registar um crescimento.

Fora dos mais procurados, “Malta é um destino que começa a despertar curiosidade nos portugueses e tem preços acessíveis, tal como a Croácia“. Outra tendência que tem vindo a crescer em Portugal são as férias em cruzeiros. A competitividade de preço e o conforto, “porque se consegue conhecer vários destinos sem ter que fazer malas ou apanhar voos”, atraem os portugueses a este tipo de viagem. “Ainda não está muito divulgado o tipo de barcos que existe hoje em dia”, completa Raquel Trindade, da GeoStar.